ENTREVISTA : filósofo e poeta Fabiano de Abreu: “Portugal é bom para os portugueses”

 

São muitos os veículos falando sobre brasileiros que vão ganhar a vida na Europa e o destino é Portugal.

Devido a facilidade do idioma, cultura semelhante, baixo custo de vida e devido a Portugal estar entre os 5 países menos violentos do mundo.

Tentando avaliar não só as boas qualidades, conversamos com o assessor e filósofo Fabiano de Abreu que se divide entre sua vida em Portugal e no Brasil para falar sobre a REALIDADE por trás de uma vida em Portugal.

“É um assunto que preciso pensar muito antes de falar, pois tudo é relativo a detalhes. Trocar de país não é tão fácil assim, não só pela questão dos vínculos de amizade mas também de familiares que se desprendem na distância.”

Abaixo uns tópicos em conversa com o filósofo e poeta

Passear é sempre mais maravilhoso que viver. Temos que colocar em pauta inúmeros fatores que diferenciam os países:

1 – Vai se acostumar com a calmaria do país?

Portugal é muito mais tranquilo que o Brasil, tem menos “farras”, até mesmo as capitais lembrar cidades do interior no pais. Tem que estar preparado para uma calmaria incomum em sua rotina.

2 – O povo é receptivo por educação, mas não tem o mesmo acesso:

Não ache que em Portugal vai fazer amigos tão fácil como aqui. Relacionamentos lá, principalmente amorosos, é muito mais difícil. A facilidade em se relacionar aqui é diferente de qualquer outro lugar do mundo, no Brasil é tudo muito fácil. Um solteiro em Portugal não seria feliz, elas não são abertas a conversas e cantadas, são tão grossas como os portugueses que vivem aqui.

3 – Portugal facial

Sabemos que Portugal tem a lei de nacionalidade através do sangue, ou seja, por tradição, são muito ligados a feições físicas. Você se parece com português? Caso não, é estrangeiro.

Eu por exemplo, sou filho de português, tenho cara de português, mas quando abro a boca, meu sotaque é de brasileiro. Vou detalhar como funciona essa questão visual:

Bom, vou falar de julgamentos, fatos reais que presenciei e conversei com os “patrícios”.

Caso seja negro, vão achar que é angolano, se bem vestido, é angolano rico que passa férias em Portugal ou tem negócios por lá, caso não esteja muito bem vestido, é imigrante ilegal.

Se é moreno demais, se não for árabe é brasileiro. Os com cara de árabe tem aquele receio de atentados, os com cara de brasileiro, receio com roubo (Muitos casos de assaltos em Portugal, mesmo sendo poucos, tem participação de brasileiros)

Se tens cara de português, mesmo com sotaque brasileiro, existe uma aceitação, devido à muitos portugueses que saíram do país e agora estão voltando. Caso não tenha cara de português, sempre será um estrangeiro.

Existe sim um preconceito escondido no país, o povo é muito conservador em todos os aspectos, mas são educados, não é um preconceito ofensivo e descarado. É um preconceito interno e não transparecido em sua grande maioria. Não verá pessoas expondo o preconceito em rede social como fazem aqui. Tem muito menos caso. Você pode sentir o preconceito mas não viver o preconceito. Nesse quesito, o Brasil parece ser um país bem mais preconceituoso na questão ofensiva, mas na questão interna, estamos mais adaptados a mistura que eles.

4 – Mulher brasileira em Portugal

A maioria das prostitutas em Portugal são brasileiras, em sua grande parte nordestina, existe um certo preconceito. Existe também preconceito das mulheres portuguesas com as brasileiras, pois existe uma história no país que elas roubam os portugueses e são boas amantes. Falam que as portuguesas são mais frias que as brasileiras. Eu particularmente não vi isso, tudo depende da maneira que aborda. Elas simplesmente captam o “papo furado” e não tem paciência, não “dão corda”, para serem conquistadas, precisa muito se esforçar e mostrar o potencial. O financeiro não as encantam como as brasileiras, lá a condição financeira não está em primeiro lugar.

 

 5 – Trabalho

Portugal tem desemprego, não como aqui, diferente, os portugueses não querem ter cargos como garçom, faxineiro, baba, cargos que aqui paga-se pouco lá poderia ter uma vida digna. Se está disposto a esses cargos, há sim emprego, mas para os demais, não é fácil, não podemos esquecer que o país também está em crise. Conheci garçons brasileiros que não querem mais voltar. Mas vá para o sul, onde o turismo ferve.

6 – Portugal para os ricos

Para quem tem muito dinheiro guardado, é o melhor país do mundo, caso você tenha 500 mil Euros na sua conta ou consiga juntar isso. Vá a Portugal e viva o resto da vida sem fazer nada. Com esse valor, além de você conseguir a nacionalidade, ainda vai viver em um país que não se paga educação nem saúde, é tudo de graça e de boa qualidade. Custo de vida baixo e muitas praias e montanhas. A natureza é linda e tudo muito barato.

7 – Área da Beleza

Os portugueses não são tão vaidosos, passaram a ser agora a pouco tempo, o melhor investimento são para áreas de beleza e estética.

8 – Área artística Atores em Portugal não dependem apenas disso para viver, lá também não se tratam famosos como aqui. O fanatismo e a vontade aparecer das pessoas não são como aqui. A vaidade não é uma qualidade predominante no país.

9 – São satisfeitos com suas condições financeiras

Acredito que a necessidade de ganhar dinheiro que o brasileiro tem para conseguir pagar os altos impostos e o alto custo de vida que temos, fez com que fôssemos mais ligados a essa questão de status. A maioria dos portugueses não ligam pra isso, são satisfeitos com a vida que levam e não tem a mesma ambição que os brasileiros. As pessoas se contentam mais.

10 – Vou ficar rico em Portugal?

Se está indo a Portugal pensando em ficar rico, não creio que seja o melhor país, deixo esse merecimento aos Estados Unidos, onde também temos uma agência artística e o dinheiro circula com muito mais velocidade com um mercado para maiores lucros. É mais fácil conseguir dinheiro de uma americano que de um português,  quer a real? O brasileiro é o povo mais fácil de conseguir convencer de adquirir um produto ou um serviço.

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *