Brasil é o líder mundial em cirurgias de rejuvenescimento vaginal

; saiba os detalhes do procedimento.

País lidera lista de cirurgias íntimas como a ninfoplastia e o enxerto de gordura, segundo relatório da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética.

De acordo com um relatório divulgado no início de agosto pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), o Brasil se tornou líder mundial na realização de cirurgias, ultrapassando os Estados Unidos. Entre os 19 tipos de cirurgias catalogadas, o país lidera em 10, sendo uma delas a de rejuvenescimento vaginal, que já soma milhares de procedimentos e continua crescendo. Cada vez mais brasileiras têm se mostrado insatisfeitas com a estética de sua região genital e, consequentemente, apelado para procedimentos cirúrgicos a fim de remodelá-la.

A cirurgiã plástica Monique Awad, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica-RJ, conta que em seus consultórios na Barra da Tijuca e Botafogo, a maioria das pacientes vêm com queixas meramente estéticas. “Só depois, algumas apresentam motivos adicionais, como atrito com a roupa e incômodo na penetração durante o sexo”. De acordo com a especialista, a maioria não aceita, por exemplo, que os pequenos lábios ultrapassem os grandes. “Funcionalmente, isso não é considerado uma anormalidade. Trata-se apenas de uma variação anatômica, porém, elas desejam ter uma vulva mais plana, até por muitas vezes se incomodarem ao usar roupas mais justas, biquínis e maiôs”, esclarece, lembrando que eliminar a flacidez na região e o aspecto enrugado que surgem principalmente durante a menopausa, entram também na lista das reclamações mais comuns.

NINFOPLASTIA E ENXERTO DE GORDURA

Ainda de acordo com a cirurgiã, a ninfoplastia está associada à hipertrofia dos pequenos lábios. “É bem tranquila. Com uma anestesia local e sedação, o excesso de pele é ressecado longitudinalmente. No mesmo dia, a paciente já recebe alta. Durante este procedimento, é possível ainda eliminar a bordinha escurecida, decorrente de atrito, alteração hormonal e envelhecimento, e expor mais o tecido rosado” explica.


Já o preenchimento é realizado quando se deseja acrescentar volume aos grandes lábios. “Fazemos um corte de 4mm para coletar de 20ml a 30ml de gordura, normalmente, da região abdominal. Depois, um corte do mesmo tamanho é feito na vulva para o enxerto. Os pontos são retirados no consultório após uma semana.”, detalha Monique.  “A retirada das células de gordura pode ser feita também do monte do púbis, quando essa região é mais gordinha e se quer reduzir o volume local”.

A simplicidade dos procedimentos, que são realizados em aproximadamente 40 minutos, faz com que o pós-operatório seja tranquilo.  “Oriento que a cirurgia seja feita com um tempinho para repouso, uns três a quatro dias. Nas duas primeiras semanas, é bom evitar atividades mais intensas, como agachar, assim como usar calças de tecidos grossos. É indicado também usar absorvente íntimo durante o primeiro mês, que é o tempo necessário para que a região esteja praticamente cicatrizada. Só o inchaço que pode durar cerca de três meses”, diz a especialista.
  SEXO
Apesar de se tratar de uma região sensível, os especialistas são unânimes ao afirmar que a sensibilidade não será prejudicada. “Em termos de relação sexual, ela está relacionada ao clitóris, não à pele dos pequenos lábios. Então, se formos pensar em excitação e orgasmo, não existe risco de perda. A não ser que você faça uma cirurgia íntima que envolva o clitóris”, esclarece.

 

RISCOS E CONTRAINDICAÇÕES
Patologia local e gravidez são as duas únicas contraindicações para as cirurgias íntimas. Já com relação aos riscos, Monique faz um alerta: “Os pequenos lábios e os pelos da região protegem a mulher de maneira geral contra infecções. Eles funcionam como barreiras naturais. A partir do momento em que você reduz a pele do local ou faz uma depilação total, pode ser que aumente a taxa de surgimento de vulvovaginite – inflamações na região da vulva e da vagina”.

DEPILAÇÃO E INFORMAÇÃO
De acordo com a médica, nos últimos anos, a procura pelos procedimentos realmente tem aumentado. “E segundo trabalhos já publicados sobre o assunto, esse crescimento é decorrente da adesão cada vez maior à depilação. A área está mais desnuda e visível. Em paralelo, o aumento da informação sobre o assunto também funciona como estímulo” diz.

No geral, o resultado é sempre muito satisfatório e mexe diretamente com a autoestima das mulheres. Afinal, é um desejo sempre muito particular. “Normalmente, elas nem contam para as amigas que fizeram.”, revela a médica.