CASA DO JULGAMENTO É UM ESPETÁCULO INTERATIVO

ARTE INTERATIVIDADE NO ESPETÁCULO “ CASA DO JULGAMENTO”

A peça “59 minutos” tem atraído centenas de espectadores da baixada fluminense e Grande Rio.

Por – Nilber Ferreira

 

Há três semanas na Segunda Igreja Batista em Duque de Caxias está em cartaz a temporada 2017 do espetáculo Teatral “Casa do Julgamento”. O projeto inovador de teatro interativo leva o público em um circuito de 8 cenários distintos que formam a peça intitulada “59 minutos”. As dependências do prédio principal da igreja transformam-se no palco que retorna no tempo mostrando os derradeiros momentos de quatro pessoas vivendo dilemas, alegrias, desafios, decisões da vida e suas consequências, valores morais e espirituais inerentes a todos os homens.

Há sete anos o projeto “Casa do Julgamento” vem sendo utilizado como estratégia criativa de atrair a população e novos fiéis oferecendo cultura acessível a todos. Nos primeiros anos a Peça “ A colisão” foi exibida impactando milhares de pessoas trazendo a proposta do teatro interativo, este tipo de exibição insere o público literalmente dentro da cada cena. “A Colisão” é outro módulo que pertence a New Creation Evangelism, Inco, detentora dos direitos autorais da “Casa” criado em 1983 pelo Pastor Tom Hudgins, da cidade de Moody, Alabama (EUA).

“Adquirimos os direitos de exibição, renovados anualmente com a possibilidade de explorar o mesmo tema, na ocasião “59 minutos”, espetáculo que temos apresentado consecutivamente há dois anos”, nos revela o Pr Eduardo das Mercês, 54 anos, a frente da igreja há 20 anos, e na “Casa” coordena a parte administrativa do evento. Ele enumera a importância do projeto sob várias vertentes, uma delas é promover cultura e no aspecto espiritual alertar para uma reflexão sobre a vida e a morte, de como temos encarado essas questões em nosso dia a dia. Lucas Araújo, 21 anos, técnico de laboratório compareceu a apresentação do dia 24 de junho, nos disse que foi a primeira experiência com o formato interativo, declarou ter gostado muito do que viu em todo o percurso nestes 59 minutos. Outra expectadora Anna Beatriz, também de 21 anos, relatou que a peça é emocionante nos faz pensar o motivo real de nossa missão neste mundo. Anna já assistiu outros espetáculos do gênero e habitualmente participa da cena cultural da cidade. “ A casa do julgamento é uma peça que nos leva a pensar sobre nossa vida diária, sobre nossas atitudes ou a falta delas diante do próximo e Deus, acima de tudo”

A coordenação artística do espetáculo está a cargo do Ministério de Artes Cênicas “ELienai”, liderado pelos atores Elias Dumas e Marco Mendes. A busca por um formato dinâmico os levou a “Casa”, na época encenado numa outra igreja evangélica da região. Apresentar o cotidiano e todos os seus problemas apontando um porto seguro se tornou uma forte arma de convencimento que a companhia de teatro empreende em suas produções. “Esses roteiros nos levam a uma refletir sobre nossa relação pessoal com Deus, nos confrontar com a nossa própria mortalidade … Lidar com a morte não é um tema fácil, seja de um parente ou de bicho de estimação … A nossa vida não acaba quando morremos e nossas escolhas possuem consequências eternas ”, esclarece Elias, 38 anos, também técnico da Justiça Federal.

HISTÓRIAS DA CASA   

A porta está sempre aberta e um bom filho a casa torna. Aconteceu assim com o jovem professor de informática William Amorim. Esteve do outro lado da faixa amarela, que delimita os espectadores dos atores na encenação. Agora ele está literalmente “Em Casa”.

“Assisti à peça “A colisão” em 2011. Fui impactado, ela me fez acordar para a realidade espiritual desconhecida para mim sobre a vida e a morte. As cenas mexeram comigo profundamente”, avalia a educador ressaltando que o modelo usado revoluciona tirando o expectador da zona de conforto da cadeira em um teatro convencional. “ A quebra dessa barreira transmite a sensação presencial da cena, esse é o diferencial”. Atua hoje em duas cenas da peça “ 59 minutos” e é membro do ministério de Artes “Elienai”.

Uma mensagem enviada por engano levou Rosiane Inácio, a dona de casa de 33 anos a participar como uma das personagens da trama de “59 minutos”. “Recebi uma mensagem via wat zap de uma das organizadoras para reunião de candidatos ao elenco … lá fiquei sabendo do se tratava. Comecei a ensaiar e participar de uma das cenas em 2016 e atuo também nesta edição de 2017”. Rosiane não tinha tido oportunidade de assistir à peça, de estar no lado da plateia, ouvia de terceiros sobre as experiências da “Casa”. “ Fico bastante emocionada com a interação do público durante a cena, é impactante como os dramas vividos pelos personagens se identificam com o público”, complementa Rosiane gratificada com o resultado positivo visto nas apresentações.

Vitória Pereira, estudante do ensino médio de 18 anos, mesmo com sua tenra idade participa desde a primeira edição realizada em 2010. No início ajudou como figurante numa das cenas, e agora mais experiente já colaborou na recepção ao público e atualmente ajuda no apoio na organização do trânsito dos grupos que assistem as cenas vários espaços da “Casa”.

Algumas histórias interessantes de muitas pessoas que ora espectadores que se tornaram participantes ativas do trabalho.

ESPETÁCULO MOVIDO A GENTE

Voluntariado é o grande combustível que mantém a casa funcionando. Um grupo de aproximadamente 180 pessoas estão envolvidas desde a construção de cenários, seleção de elenco, treinamento, figurinos, sonoplastia, maquiagem, recepção, venda de produtos licenciados, controle de acesso, segurança entre outras atividades de apoio. Essa química entre os membros da segunda igreja batista tem dado certo. No período de auge da temporada a comunidade abraça o projeto vestindo e suando a camisa. Walney Cardoso, 46 anos, arquivista, auxilia na despedida dos espectadores, na saída da “Casa”. “As pessoas saem impactadas elogiando o trabalho independente de suas convicções religiosas tem a oportunidade de repensar a vida”, complementa.

Nessa engrenagem humana formada de pessoas de várias idades e ocupações se desenrolam alguns números, resultados produzidos na edição de 2016 e projeções colhidas nesta edição conforme nos informa o infográfico.

(Imagem com números da casa)

Em 2018 a liderança do “Eleinai” falou a nossa equipe que há possibilidade de haver novidades e montagem de um novo espetáculo na “Casa” seguindo a mesma trilha de interação com o público. Seja qual for se o tema:  Drogas, Câncer, Internet ou qualquer outro, o objetivo é levar a pessoas a sensibilidade e profunda reflexão das fronteiras da vida, morte e eternidade.

Para visitar os cômodos da “Casa do julgamento” e suas portas que abrem em média 768 vezes a cada noite de apresentação é necessário doar um quilo de alimento não perecível, estes revertidos para obras sociais nas comunidades onde a igreja atua. Daí é embarcar na trajetória da quase última hora de Jennifer Marques, Beto Ramos, João Oliveira e Mateus Pádua. “Casa do Julgamento “ ainda terá apresentações em 14 e 15 de julho.

INFORMAÇÕES

ESPETÁCULO TEATRAL “ CASA DO JULGAMENTO”

LOCAL – SEGUNDA IGREJA BATISTA EM DUQUE DE CAXIAS

END. – AV PRUDENTE DE MORAIS, 830, VILA SÃO LUIZ, PRÓXIMA A PRAÇA DA APOTEOSE.

HORÁRIOS – SEXTAS – 20:00 ÁS 23:00 E SABADOS 19:00 ÁS 23:00

INGRESSO – 1 QUILO DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL

CONTATOS PARA AGENDAMENTO – (021) 98130 – 6851

SOMENTE PELO WHATSAPP   

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *